top of page
  • Foto do escritorLarissa Santos

Segurança para o seu pet: acidentes entre sapos e animais de estimação


Se você tem um cãozinho de estimação, sabe quanta energia eles têm e como é importante mantê-los ativos para gastar essa energia. Uma ótima opção são os passeios, e os parques costumam ser a primeira escolha para esse tipo de atividade. No entanto, é importante estar atento durante esses passeios, pois os parques podem apresentar alguns perigos para os nossos pets, como o contato com animais peçonhentos, como sapos, cobras, escorpiões, entre outros. 


No texto de hoje, vamos explicar melhor como acontece os acidentes entre sapos e animais de estimação, assim como os principais sinais que o pet tende a apresentar e como agir nessas situações.


É importante entender que, esse tipo de acidente não se restringe apenas aos passeios, pois os sapos também podem estar presentes no nosso próprio jardim, colocando em risco até mesmo os animais que não tem acesso às ruas, como os gatos, por isso é muito importante ter atenção quanto a presença desses animais peçonhentos.



Os sapos possuem glândulas na superfície da pele que são responsáveis pela produção do veneno, geralmente de alta toxicidade, além de glândulas mucosas que produzem secreção viscosa, com objetivo de afastar o predador e defendê-los dos ataques. Os animais de estimação normalmente se intoxicam abocanhando ou ingerindo o sapo, que imediatamente libera o veneno na mucosa oral desse animal, esse veneno se dissemina e acaba caindo na circulação sistêmica gerando uma série de manifestações clínicas graves.


A composição química e ação do veneno dependem da espécie de sapo, no Brasil os sapos que mais causam envenenamento em animais de companhia são do gênero Bufo, como Bufo marinus, B. typhonius, B crucifer entre outros. Mas em geral, os efeitos do veneno aparecem logo após o acidente, podem variar de leve, moderado ou grave, os animais podem apresentar irritação local, salivação excessiva, apatia, fraqueza, dor abdominal, anormalidades no ritmo cardíaco, convulsões e até mesmo a morte, que pode ocorrer em até 15 minutos após o aparecimento dos sinais. 


Com isso, é possível observar a gravidade desse tipo de acidente, assim caso desconfie que seu pet tenha contato com algum sapo, não exite em levá-lo ao veterinário, ele será o mais capacitado para lidar com a situação e ajudar a melhorar o quadro clínico do pet, o tempo é crucial nesses tipos de situação e pode ajudar a beneficiar o seu companheiro de quatro patas.


Escrito por: Larissa Silva Santos


Referências


SPINOSA, Helenice de Souza et al. Toxicologia aplicada à Medicina Veterinária. Editora Manole, 1° Edição- 2008 


Comments


bottom of page