top of page
  • Foto do escritorEnzo Jurkas

Entendendo o Corpo e o Envelhecimento nos Pets: Como a Idade Facilita Intoxicações?

Hoje em dia, com o avanço da Medicina Veterinária e mudanças nos hábitos em casa, a população de cães e gatos idosos está claramente aumentando. E com esse aumento, muitas coisas precisam ser consideradas sobre a idade dos bichinhos.

 

Um "paciente geriátrico" é um animal que atingiu 75% da sua expectativa de vida. Quando isso acontece, cerca de 30% das células do corpo já estão permanentemente perdidas. Na medicina humana no Brasil, devemos ir ao geriatra a partir dos 60 anos. Na veterinária, a definição de "geriátrico" não é muito clara, pois varia entre espécies, raças e tamanhos. Por exemplo, um Dogue Alemão já pode ser considerado idoso aos 5 a 7 anos, enquanto um Chihuahua só é considerado idoso entre 9 e 15 anos.

Os gatos começam a apresentar sinais de senioridade aos 7 anos, quando estão em uma fase mais madura, mas chegam a ser considerados idosos aos 12 e geriátricos aos 15 anos

 

As mudanças nos corpos dos bichinhos idosos incluem:

- Diminuição da função em órgãos como fígado e rins devido à idade;

- Mudanças na composição corporal;

- Mudanças na circulação sanguínea, afetando o fluxo de sangue para os órgãos;

- Respostas corporais mais lentas;

- Diminuição do metabolismo.

 

Essas mudanças podem afetar como o corpo processa os remédios, alterando a concentração no sangue, a ação do medicamento e como ele é absorvido, distribuído, transformado e excretado. Isso afeta diretamente a capacidade do corpo de eliminar os remédios e como ele vai reagir a eles. Portanto, aqueles medicamentos que os animais recebiam quando eram mais jovens, podem não ser os mais adequados para essa fase da vida, ou se forem, certamente, deverá haver ajustes na dosagem que somente o Médico Veterinário poderá fazer.

 

Fígado

O fígado é essencial no processamento de remédios e substâncias tóxicas. Alterações no fígado devido à idade podem aumentar a toxicidade desses compostos. As mudanças incluem:

- Diminuição da função do órgão

- Redução no número de células e na massa do fígado

- Diminuição do fluxo sanguíneo para o fígado

- Redução da atividade das enzimas que transformam os remédios em formas não-tóxicas.

 

Essas alterações também reduzem a capacidade do fígado de produzir compostos protetores, aumentando o risco de toxicidade. Portanto, medicamentos anti-inflamatórios e para dor devem ser administrados com muito cuidado e acompanhamento veterinário.

 

Composição corporal

Nos bichinhos idosos, a quantidade de água no corpo diminui, a massa muscular reduz e a gordura corporal aumenta. Essas mudanças podem afetar a absorção, transformação e eliminação dos medicamentos.

 

Rins

Alterações nos rins devido à idade afetam a filtração e eliminação das substâncias pela urina. Como muitos remédios e toxinas são eliminados pelos rins, pode ocorrer um aumento das concentrações dessas substâncias no sangue, aumentando o risco de toxicidade!

 

Fluxo Sanguíneo

O fluxo sanguíneo é alterado por conta da idade, e o sangue é direcionado para órgãos principais como coração e cérebro, o que pode aumentar o risco de toxicidade nesses órgãos!

 

Assim, bichinhos idosos podem ter alterações na forma como processam remédios e toxinas devido às mudanças relacionadas à idade. Eles devem ser avaliados cuidadosamente quanto às disfunções nos órgãos, mudanças no fluxo sanguíneo e na composição corporal. Como pacientes geriátricos costumam tomar vários remédios, o risco de interações tóxicas aumenta!

 

Por isso, recomendamos que leve seu animalzinho regularmente para fazer check-up para adequadamente avaliar a saúde do seu idosinho!

Em caso de suspeita de intoxicações, é de extrema importância levá-lo ao Médico Veterinário! O tempo é um grande aliado da chance de recuperação!

 

Referências

LEE, Justine A. Considerations in the Geriatric Poisoned. Small animal toxicology, p. 215-218, 2012.

 

 

Comments


bottom of page