top of page
  • Foto do escritorLarissa Santos

A “flor do natal” pode ser tóxica para pets?


Chegou uma das épocas mais aguardadas do ano, o momento das festividades em que comemoramos o natal e ano novo, é o período em que reunimos a família, decoramos a casa, promovemos jantares, confraternizações entre outras formas de comemorar. Em relação a decoração, costumamos montar árvore de natal, com piscas pisca, pingentes de papai noel e flores que são bem características da época, com certeza você que gosta de fazer a decoração da casa conhece a chamada “flor do natal”, mas você sabia que elas podem ser tóxicas para os animais?


A “flor do natal” ou também conhecida como “bico de papagaio”, cujo nome científico é Euphorbia pulcherrima, é uma planta cultivada especialmente para fins decorativos, pois suas folhas são modificadas de maneira a cercar as flores, como se fossem pétalas, elas possuem uma cor vermelho vivo que chama bastante atenção nas decorações de natal, mas também existem algumas variações de cores como brancas, rosas e amarelas que são usadas em outras épocas do ano.


Quais os principais sinais de intoxicação?


A ingestão de pequenas quantidades dessa planta já podem causar intoxicação, e desencadeiam alterações no organismo do animal em poucas horas após a ingestão, os sinais de toxicidade incluem irritação na boca e pele, perda de apetite, salivação excessiva, náuseas, vômitos, ainda podem apresentar cólica com aumento da frequência de defecação, mas sem alteração na consistência das fezes, por isso é importante ficar atento ao seu pet caso comece a manifestar tais sinais.


Como evitar a intoxicação?


Para evitar que seu companheiro consuma essa planta, não é necessário eliminá-la da sua decoração, basta deixá-la fora do alcance do seu pet, assim em ambientes externos e internos elas podem ser posicionadas em janelas, escadas altas, estantes, vasos suspensos, em suportes específicos de parede entre outras alternativas que ajudam manter a casa bonita e evitam o contato do animal com as plantas, mas é importante atenção em caso de gatos, que costumam ter acesso locais mais altos, através de outros móveis por exemplo, assim você pode posicionar as plantas conhecendo o comportamento do seu amiguinho, de forma que seja um local seguro e que ele realmente não tenha acesso.


Caso perceba algum desses sinais de desconforto no seu fiel companheiro ou suspeite que ele possa ter entrado em contato com a planta, procure um médico veterinário imediatamente, o tempo é crucial nesses tipos de intoxicações.


Compartilhe informações sobre as plantas tóxicas com outros amantes de animais e jardins, como uma forma de prevenção, você pode ajudar muitas famílias com um simples gesto. Fique de olho no nosso blog que logo teremos novidades!


Se você tiver alguma pergunta ou sugestão para futuros artigos, sinta-se à vontade para compartilhá-la conosco. Adoraríamos ouvir sua opinião e atender às suas necessidades. Até o próximo post!


Escrito por: Larissa Silva Santos


Referências


SPINOSA, Helenice de Souza et al. Toxicologia aplicada à Medicina Veterinária. Editora Manole, 1° Edição- 2008


CORTINOVIS, Cristina; CALONI, Francesca. Epidemiology of intoxication of domestic animals by plants in Europe. The Veterinary Journal, v. 197, n. 2, p. 163-168, 2013.


SKALSKI, Juliana. Epidemiologia das intoxicações por plantas em herbívoros domésticos na região metropolitana de Curitiba-PR. 2015.


LUCAS, Alexa Breidiane et al. Plantas Ornamentais tóxicas em locais públicos da cidade de Realeza/PR. SEPE-Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFFS, v. 5, n. 1, 2015.


bottom of page